Conteúdo infantil registra aumento de 2% nos SVODs

Enquanto o volume de conteúdos para crianças está crescendo em plataformas de streaming, outros gêneros continuam recebendo a maior parcela de investimentos das empresas.

Por Ryan Tuchow

Boas notícias para os criadores de conteúdo: houve um aumento de 2% no volume de conteúdo infantil em SVODs. De fato, os serviços de streaming disponibilizaram mais de 53.200 horas entre abril de 2018 e abril de 2019, de acordo com a Ampere Analysis, empresa de pesquisa de mercado sediada em Londres.

No geral, os SVODs preferem a TV em relação aos filmes, informa Ampere, e 83% do conteúdo infantil dos SVODs continuam sendo títulos de televisão, enquanto apenas 17% do conteúdo é de longa-metragens.

Apesar do aumento nos programas infantis, as empresas de streaming continuam a investir mais em outros gêneros, resultando em uma proporção cada vez menor de conteúdo infantil em catálogos SVOD em todo o mundo. Entre agosto de 2015 e abril de 2019, o volume de conteúdo em SVODs voltado para crianças caiu de 16% para 12%, de acordo com dados coletados de 57 SVODs em 38 mercados.

O estudo surge em meio ao recente anúncio da Amazon de que está mudando seu foco do conteúdo infantil para o público de co-visualização familiar e para jovens adultos, com planos de renovar seu atual programa de TV para crianças, caso a caso. A lista de streamer continuará disponível, mas quando se trata de espectadores mais jovens, a Amazon licencia o conteúdo em vez de encomendá-lo.

Os SVODs podem não ter visto o mesmo sucesso atingindo as crianças com conteúdo, como aconteceu com os adultos, então os investimentos mudaram para outros gêneros, postula o diretor de pesquisa de Ampere, Richard Cooper. Os próximos grupos de grandes SVODs mostram que os serviços não se afastaram do licenciamento de títulos infantis, mas estão gastando mais em conteúdo de comissionamento para outros gêneros, acrescenta.

Isso pode acontecer porque os SVODs estão lutando para saber o que atrai as crianças e não querem arriscar investir em IPs originais que podem não ter sucesso, diz Cooper. “A categoria infantil é uma categoria em crescimento, mas está se desenvolvendo mais lentamente que outros gêneros”.

Fonte: Kidscreen – Por Ryan Tuchow – 21/6/2019.

Comentários via Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui