Bicicleta sem pedais: Balance Bike contribui para o desenvolvimento das crianças

Mais do que divertir, o ato de brincar é também responsável pelo desenvolvimento da criança e deve fazer parte das suas atividades diárias. Andar de bicicleta está na lista dos exercícios mais praticados pelos pequenos. Ela é um meio de diversão e, quando aprendem a andar, as crianças superam um desafio. O mais comum é que a primeira bike de uma criança tenha pedais e rodinhas e que iniciação comece entre três e cinco anos de idade, mas também é possível investir em um modelo sem esses dois itens e que antecipa o contato com o mundo do pedal de forma natural e instintiva.

Muito comum na Europa e nos EUA, a Balance Bike, ou bicicleta do equilíbrio, está conquistando aos poucos os consumidores brasileiros e oferece inúmeros benefícios para os pequenos. De acordo com a psicóloga Ana Paula Machado, o produto estimula o equilíbrio, o senso de direção, a coordenação motora e a autopercepção corporal. “Pelo fato de a bicicleta não ter pedais, ela ajuda a criança a se manter no controle da velocidade da brincadeira o tempo todo, fortalecendo, assim, a sua autoconfiança em experimentar e/ou descobrir o brincar com a bicicleta, o que irá favorecer posteriormente o uso das bikes convencionais”, completa.

Ao ter o primeiro contato com as duas rodas através de uma bicicleta comum, a criança aprende primeiro a pedalar, o que atrasa o desenvolvimento do equilíbrio, afinal, esse movimento faz com que ela jogue o peso do corpo de um lado para o outro. Com a Balance o processo é diferente, pois primeiro trabalha-se o equilíbrio, já que a criança poderá colocar os pés no chão sempre que sentir necessidade, dando a ela mais confiança. O quadro mais baixo permite que esse processo seja feito rapidamente. Quando iniciar em sua primeira bicicleta com pedais, vai estar muito mais preparada e confiante para a atividade, se concentrando basicamente em aprender o movimento de pedalar.

A psicóloga também comenta que a maior questão está em quebrar o estranhamento dos pais em relação à bicicleta sem pedais, pois, é provável que, quando crianças, eles tenham desenvolvido a prática com modelos convencionais que acompanham pedais e rodinhas. “É essencial que os pais compreendam o quanto é importante para o desenvolvimento psicomotor que seu filho seja estimulado desde o início e antes mesmo do uso dos pedais. E, ainda, a Balance Bike respeita a capacidade e o desenvolvimento motor que a criança se encontra, seu tempo, seus limites corporais, cognitivos e sensório-motores”, afirma.

Segundo Antonio Nicolas Vergos, diretor da Nathor, empresa que desde 2015 fabrica a Balance Bike no Brasil, quando uma criança inicia o contato com o mundo do pedal através da bicicleta do equilíbrio, depois ela automaticamente irá para outro modelo sem precisar usar as rodinhas laterais. “A Balance está conquistando adeptos no Brasil e sentimos essa realidade nos números. Das seis mil bicicletas que fabricamos diariamente em um portfólio de aproximadamente 40 produtos, pouco mais de mil são desse modelo. Para 2020, a expectativa é aumentar em 30% as vendas da Balance”, complementa Vergos.

Fonte: Oficina das Palavras – Letícia Oberger – (47) 3322-0545.

Comentários via Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui