BLE 19: Missão Hasbro

A Hasbro está em uma missão nesta Brand License Europe (BLE): provar que é mais do que uma empresa de brinquedos!

Conhecida pelas caprichosas séries pré-escolares, bem como Transformers e Monopoly, a companhia está em processo para adquiri a eOne. É nesse contexto que Claire Gilchrist, vice-presidente da Hasbro Consumer Products, está investigando o catálogo de marcas menos conhecidas da companhia – propriedades que você talvez nem saiba que são da empresa. “Nosso objetivo este ano é mostrar o portfólio incrivelmente amplo de marcas que possuímos. Nossas franquias principais são bem conhecidas e licenciadas, mas temos 1.500 marcas com um potencial incrível.

Os Power Rangers, por exemplo, foi uma grande compra e as oportunidades oferecidas pela franquia são diversas. Há também as Micro Machines, as Pound Puppies e a Stretch Armstrong, todas marcas clássicas que têm enorme alcance e reconhecimento, segundo a vice-presidente. E isso sem mencionar as marcas “cool-geek” como Dungeons and Dragons da Wizards of the Coast e Magic the Gathering, jogos de RPG adorados por milhões em todo o mundo. “Essas são as nossas jóias escondidas e só digo isso porque são diferentes de muitas das nossas principais franquias. Essas marcas têm um público imensamente engajado e emocionalmente envolvido”, afirma.

Ainda de acordo com Claire, a experiência é a maneira mais recente de conquistar multidões e fazer algo verdadeiramente único com uma marca. Sendo assim, o aniversário de 85 anos de Monopoly não passará em branco: “Serão diversas ações com a marca, mas para mim o destaque é a abertura da Mansão Monopoly em Kuala Lumpur, na Malásia; um hotel cinco estrelas no primeiro trimestre do próximo ano”.

As experiências baseadas em localização serão absolutamente centrais para as estratégias das marcas Hasbro, bem como o envolvimento com os consumidores. “Existem milhões de maneiras de levar nossas propriedades aos produtos de consumo e queremos provar que é, também, o caso das experiências. É assim que as pessoas querem se envolver com suas marcas favoritas – é uma abordagem menos tradicional e há uma história única por trás de cada ação”

Tudo isso, segundo Claire, resume-se a uma visão com a qual a equipe trabalha há algum tempo: uma mudança da tradicional empresa de brinquedos para uma empresa de brincadeiras e entretenimento.

E é nesse cenário que a compra da eOne, ainda em andamento, faz tanto sentido para a companhia: “O potencial dessa aquisição é tremendo e é uma prova de nossa convicção sobre o futuro”, finaliza.

Comentários via Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui