Bonecos de pebolim ganham vida e precisam vencer astro do futebol em filme

Amadeo era um garoto muito tímido que morava em uma pequena cidade e tinha duas paixões: seu jogo de pebolim (conhecido também como “totó” em algumas regiões do país) e a bela amiga Laura. Mas este é só o começo da história de “Um Time Show de Bola”, que estreia nesta sexta (29) nos cinemas e tem como diretor o vencedor do Oscar Juan José Campanella.

Depois de passar toda a infância e juventude trabalhando no bar onde sua primeira paixão estava, Amadeo recebe duas notícias ruins: descobre que Laura quer viajar pra muito longe e que um astro do futebol pretende transformar o vilarejo e destruir seu jogo.

Colosso, a estrela dos gramados, é a ambição e arrogância em pessoa. Ele acredita ser melhor do que todos e não suporta a ideia de ser derrotado. O plano de destruir o pebolim foi alimentado por ele durante muitos anos, depois de perder uma partida para Amadeo quando criança. Agora que ele é conhecido mundialmente e tem muito dinheiro, Colosso compra o povoado e começa a por seu plano em prática.

Amadeo tenta salvar a mesa do jogo de ser arruinada, mas consegue pegar apenas o boneco de Capi, o principal jogador de chumbo de um dos times, enquanto uma máquina destrói o resto. Para piorar a situação, Laura é sequestrada pelo vilão.

Quando tudo parece não ter solução, Amadeo é supreendido ao ver que Capi ganhou vida e, embora tenha poucos centímetros de altura, possui uma enorme coragem e promete ajudar seu “técnico” a reunir todos os minijogadores para lutar contra Colosso.

É então que Amadeo propõe a Colosso um novo duelo de pebolim, em que o vencedor fica com a cidade. O vilão aceita com uma única condição: a disputa teria que ser no futebol “de verdade”, onde ele é ídolo.

Para salvar seu povoado, Amadeo reúne um time que não é formado exatamente por atletas, mas sim por frequentadores do antigo bar: alguns idosos, o dono do estabelecimento e até um batedor de carteira. Além dessa equipe incomum, os craques de ferro do pebolim vão entrar na disputa, depois de sobreviverem a alguns perigos no lixão onde foram jogados.

O embate nos gramados é repleto de emoção – e risadas, é claro – e dá a sensação de que quem assiste também está no estádio. A animação promete agradar tanto os milhões de fãs do futebol quanto quem nem se interessa por esporte. Diversão garantida!

 

Fonte: Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui