Exclusivo! Entrevista com o superintendente da Brascol

Antonio Almeida
Superintendente da Brascol fala sobre tecnologia aplicada ao varejo.

No mercado de moda há mais de 30 anos, Antonio Almeida passou por grandes companhias, tais como C&A e Pernambucanas. “Sou apaixonado por comércio e por pessoas. Hoje, tenho a oportunidade de viver uma experiência incrível em um mercado de produtos de alto consumo na região do Brás, que é a cara do Brasil”, declara o empresário. A seguir, confira a entrevista completa com o empresário que acumula experiência e visão de futuro.

Zero a Três – Quais momentos marcaram a história da Brascol?
Antonio Almeida – Foram vários! O primeiro foi a inauguração da atual loja Brascol na rua Maria Marcolina. Praticamente triplicamos o tamanho das instalações e pudemos oferecer um volume maior de produtos e serviços. O lançamento das nossas marcas próprias, possibilitando investimento em moda e diferenciação também foi marcante. Tivemos ainda a fase de implantação da Identificação por Radiofrequência (RFID), em que nos tornamos referência mundial junto à Marks & Spencer, cadeia de lojas inglesa, participando de dois eventos internacionais em Roma e San Diego, para divulgação do feito. E, por fim, o lançamento do e-commerce B2B.

ZT – Qual a atual estrutura da empresa? Quais marcas estão em linha, atualmente?
Almeida – Temos 400 colaboradores diretos e atuamos com mais de 250 marcas relevantes do mercado em diversas linhas – confecção, enxoval e puericultura, entre outras. Das nossas marcas próprias, atualmente trabalhamos com oito: Baby Gijo, Dindon, Color Mini, Color Girl, Gijo Kids, Gijo, Pami e Okyside.

ZT – Quando a Brascol passou a investir em tecnologia e novos recursos para otimizar suas vendas? O que o motivou a desenvolver essas ferramentas?
Almeida – A tecnologia está no DNA da Brascol. Nos primórdios da companhia, tínhamos, por exemplo, uma máquina de contagem de cheques desenvolvida por nós e que fazia um trabalho de horas em minutos. Sempre tivemos um olhar para o futuro e a modernização de processos e equipamentos sempre gerou novos negócios. Foi o que aconteceu com a implantação do RFID, há 4 anos, e do e-commerce, sendo este o terceiro ano de operação.

ZT – Qual o impacto dessa medida para os negócios?
Almeida – Mudou e está mudando profundamente o mindset da Brascol e das empresas da região. Já temos outras empresas do Brás usando o sistema RFID e implantando o e-commerce. Temos atraído profissionais com excelência no mercado, em função desses projetos e da “alma de startup”.

ZT – Qual o próximo passo nesse sentido?
Almeida – Aproveitar os benefícios dessas tecnologias para oferecer aos nossos clientes lojistas e colaboradores a possibilidade de se atualizarem e entrarem nesse mundo digital e de modernidade. Visando preparar nossa equipe de colaboradores, desenvolvemos parcerias com escolas digitais. Propiciamos descontos para que todos estudem e aproveitem as oportunidades que estão surgindo, em razão desses novos caminhos. Queremos que todos os nossos colaboradores sigam conosco e se tornem cidadãos e profissionais bem preparados para o mercado de trabalho.

ZT – Desde 2016, as marcas infantojuvenis da empresa estão disponíveis em um e-commerce para lojistas. Por que decidiram desenvolver esse canal?
Almeida – O principal objetivo foi oferecer a possibilidade de uma reposição mais rápida aos nossos clientes, sem a necessidade de deslocamento físico. Eles podem, por exemplo, entrar no sistema durante a semana e no domingo para solicitar a reposição do que venderam no final de semana.

ZT – Quais pilares fundamentam uma boa gestão?
Almeida – Processos bem definidos, tecnologia bem implantada e envolvimento sincero e efetivo de cada pessoa que faz parte da empresa. Este é o caminho.

ZT – Existem planos de expansão do portfólio de marcas da Brascol na categoria baby?
Almeida – Sim, com a chegada do nosso marketplace nos próximos meses será possível trazer marcas e parcerias que hoje não oferecemos, fazendo assim com que nosso cliente possa se abastecer de tudo o que precise.

ZT – Como você avalia esse segmento no Brasil?
Almeida – O setor de zero a três é o que mais oferece oportunidades, pois costumamos dizer que, independentemente da taxa de natalidade, as vendas continuaram a crescer porque existem as avós, tias, madrinhas… Enfim, todos nós que não resistimos a uma roupa infantil.

Site: www.brascol.com.br
FanPage: www.facebook.com/BrascolAtacado
Instagram: @brascolatacado

Fonte: EP Grupo – Revista Zero a Três Jul./Ago. 2019 – Por Kika Martins.

 

Comentários via Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui