Pesquisa revela que Natal de 2017 é das vendas online

 

Olhar todos os produtos da vitrine de um shopping sem sair de casa. Essa facilidade já é possível há alguns anos graças ao e-commerce. As vendas online estão ganhando cada vez mais clientes. Os números sobem a cada dia e o Natal desse ano já é dos presentes comprados pela internet. Pelo menos é o que revela a pesquisa Intenção de Compras de Natal 2017, feita pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Segundo o estudo, 40,2% de consumidores vão comprar os presentes de Natal pela internet. A pesquisa chama atenção para um dado curioso, pela primeira vez o número de consumidores que vão comprar pelas lojas online ultrapassa o dos que comprarão em shoppings (37,5%).

Os empresários Felipe Kuhlmann e Wilson Pedrosa comemoram, eles são donos da empresa Braveman, que produz acessórios de couro. A loja virtual foi criada em 2013 e desde então tem um crescimento exponencial ano a ano. Eles já se prepararam para o fim do ano e já perceberam um aumento nas vendas.

Atualmente a Braveman trabalha com 10 produtos: carteiras, organizadores de mesa, chaveiros, braceletes, descansos de copos, organizador de cabos, Pack engraved, camisetas, sacola de algodão, bonés e camisa de ciclismo. Os preços vão entre R$60,00 e R$450,00. Para o ano de 2018 já fazem vários planos, pretendem aumentar a atuação nos principais mercados, aumentar o leque de produtos.

O estudo revelou também que os sites das grandes lojas varejistas são os campeões com 67,8% das vendas, seguidos pelos sites de classificados de compra e venda (42,5%) e por último as lojas especializadas em roupas, calçados e acessórios (34,4%).

O publicitário André Vasques é um dos clientes que vai comprar os presentes dos familiares e amigos via e-commerce. “Já estou muito acostumado, toda semana chega um pacote lá em casa”, comenta.

A servidora pública, Carolina Ventin gosta de comprar pela internet, mas para dar presentes ela prefere a loja física, mas aproveita os site para comparar os preços. “Como tenho amigo oculto e outras festas prefiro ir na loja para escolher o produto, mas quando é pra mim adoro escolher pelo computador. O mundo virtual é muito bom para comparar valores de produtos”, afirma.

Mas, não é só Carolina que pensa desta forma. De acordo com o levantamento, a internet também serve como ambiente de pesquisa. O estudo revelou que 82,6% dos entrevistados pretendem fazer pesquisa de preço para economizar, contra apenas 7,3% que afirmam o contrário e 10% que ainda não sabem. Desses, 75,9% costumam pesquisar pela internet, 50,1% o fazem em lojas de shopping e 47,7% pesquisam nas lojas de rua.

Fonte: Mídia e Conexão – Letícia Diniz – (61) 3327-9889.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui