Programa ‘Apoie o Pequeno’ dá uma força com as vendas on-line

Com o objetivo de fortalecer o pequeno varejista, a Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo (ABIESV) e a Confederação Nacional de Jovens Empresários (CONAJE) acabam de anunciar o programa “Apoie o Pequeno”, que começa nesta quarta-feira, 15.

Iniciativa da ABIESV e CONAJE, em parceria com a Vtex, cria programa emergencial ‘Apoie o Pequeno’. Crédito: Pixabay

A iniciativa consiste na criação da plataforma de e-commerce www.apoieopequeno.com.br, pela qual os pequenos empresários comercializarão seus produtos e serviços gratuitamente.

O programa tem a parceria da Vtex, maior plataforma e-commerce da América Latina, por meio de sua Loja Integrada.

A iniciativa também conta com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae; Associação Brasileira da Industria Têxtil – ABIT; SINDITEXTIL; Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC); Comitê de Varejo Couromoda; Conselho de Inovação da Associação Comercial de São Paulo (ACSP/CONIN); Associação Brasileira dos Lojista Satélites (ABLOS), entre outras entidades ligadas ao varejo.

Pesquisas demonstram que o pequeno varejo está muito distante do ambiente online, particularmente o varejo de vestuário, quase 90% dos pequenos empreendimentos não têm presença digital, segundo dados recentes levantados pelo IEMI – Inteligência de Mercado.

“Uma iniciativa como essa ‘Apoie o Pequeno’ tem entrega pronta, queimando etapas do processo, eliminando barreiras e agilizando o trabalho”, explica Marcelo Quelho, presidente da CONAJE.

De acordo com o Sebrae, o varejo brasileiro é dominado pelos pequenos estabelecimentos: empresas de pequeno porte somam um total de 13 milhões, que empregam 21,5 milhões de pessoas e um total de salário de mais de R$ 611 bilhões anuais.

Segundo o presidente da Abiesv, de modo geral, toda a economia sofre com a situação atual. “É necessário flexibilidade neste momento. Em webinar semanais com nossos associados já temos dito ser preciso negociação de prazos e valores com fornecedores, mudança de modelo de negócio para e-commerce e serviços a distância, busca por crédito e qualificação. Essas são algumas ações que podem ser adotadas até que a situação volte ao normal, o que esperamos seja breve.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui